LAZER

   
  A vez da terceira idade.
  Terceira Idade - Faculdade de Tecnologia de Piracicaba.
  Educação na Terceira Idade
  Lazer na terceira idade
  Lazer e cultura para a terceira idade.
  Lazer e diversão na terceira idade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Vez da Terceira Idade

 

Existem serviços que oferecem aos idosos tudo o que é preciso em lazer e cuidados. Assim, a executiva que dedica à empresa 12 horas por dia e tem família para cuidar, já pode trabalhar sem culpa

texto: Priscila Gorzoni
foto: Keydisc

 

 

Se fosse 20 anos mais velha, provavelmente a fisioterapeuta Juliana Aguiar não teria se especializado no atendimento de pacientes da terceira idade. Nos anos 80, os idosos representavam pouco mais de 10% da população e o mercado de trabalho por onde Juliana hoje transita mal existia - o país acreditava que seria jovem para sempre. O Brasil deste início de século 21 está muito diferente no que diz respeito à faixa etária de seus habitantes. A mais recente pesquisa realizada pelo IBGE mostrou que 14,5% dos brasileiros, algo em torno de 24 milhões de pessoas, têm mais de 60 anos. A projeção para os próximos dez anos mostra que essa população subirá para 34 milhões. Não é sem razão que já somos um dos países em desenvolvimento que possui uma das maiores taxas de crescimento da população idosa.

A causa principal dessa mudança está relacionada a dois fatores: a modesta melhoria na qualidade de vida e a redução da taxa de mortalidade infantil. O aumento da população com mais de 60 anos fez crescer a oferta de serviços destinados a essas pessoas nos grandes centros urbanos. Embora não exista uma política pública específica ao idoso, várias entidades, organizações e empresas tentam preencher essa importante lacuna por meio de atividades sociais e culturais, e de programas de saúde. "Manter-se em atividade é fundamental para a saúde dos idosos", observa Juliana Aguiar. "As atividades culturais e físicas previnem doenças e depressão. Aposentar a mente é um perigo."


 

DIVERSÃO, BOM NEGÓCIO


O lazer é o segmento da terceira idade que mais cresce. Constantemente surgem novas entidades que congregam estas pessoas, o Sesc é a principal delas. Suas unidades executam ações para a terceira idade nas áreas de expressão artística, artesanato, literatura, biblioteca, cinema, vídeo, educação, recreação, trabalhos em grupo, desenvolvimento físico, saúde e turismo. "Esses trabalhos têm como objetivo a reinclusão do idoso, a redescoberta da motivação e novas propostas de vida através de atividades culturais e de lazer", observa Lilia Ladislau, socióloga especialista em gerontologia social e assistente técnica da gerência de estudos e programas de terceira idade do Sesc São Paulo.

 

VIAGENS DIVERTIDAS
Os especialistas são unânimes ao afirmar que o turismo é a melhor forma de socialização e formação de vínculos pessoais, dois itens decisivos nessa fase de vida. Em função disso, cresce a olhos vistos o número de empresas particulares especializadas em levar grupos de terceira idade para conhecer as diferentes partes do Brasil. O Senac, entidade sem fins lucrativos, também colocou, literalmente, o pé na estrada. Sua unidade de São Paulo desenvolveu o programa "Feliz Idade" que, em parceria com o Grand Hotel Senac de Campos de Jordão e o Grande Hotel Senac São Pedro, leva idosos para conhecer estas duas cidades serranas. O programa inclui diária com pensão completa, passeios e sessões de relaxamento e hidromassagem.

 

CORPO SAUDÁVEL
Os exercícios são importantíssimos para os idosos. Eles ajudam a evitar a perda de massa muscular e óssea, dois de seus maiores inimigos. Atividades físicas, como o alongamento, fortalecem os músculos e melhoram as articulações e o bem-estar físico. "A atividade física libera alegria por meio das endorfinas, que são os hormônios da felicidade, um dos melhores remédios para a alma", salienta a fisioterapeuta Juliana Aguiar.

Cada dia são maiores as opções para os idosos que querem sentir no corpo (e na alma) os efeitos dos exercícios. Todas as unidades do Sesc fornecem atividades físicas como ioga e natação, entre outras. Empresas particulares (como academias) também realizam esses serviços gratuitamente. A carioca Energia Vital, por exemplo, dá aulas no estacionamento do shopping Nova América. Isso sem falar naquelas que desenvolvem programas para grupos de terceira idade (com preços especiais).

 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Terceira Idade

 

Faculdade de Tecnologia de Piracicaba

 

 

Nossas alunas da terceira idade!

Em razão da mudança do perfil demográfico observado tanto no Brasil como em outros países, com aumento progressivo e crescente da faixa etária superior aos 60 anos, torna-se fundamental garantir oportunidades para que o envelhecimento seja um processo assistido e bem-sucedido, favorecendo a pessoa de idade madura e ao idoso a participação social, o autogerenciamento da saúde e a prevenção de incapacidades.

 

Pesquisas têm demonstrado que a Educação é um dos instrumentos que propiciam ao indivíduo alcançar o envelhecimento ativo. Envelhecer com saúde física, mental e espiritual é um dos maiores desafios das pessoas nessa faixa etária. Nessa perspectiva, uma das adaptações mais bem sucedidas quando se fala envelhecimento bem sucedido foi a criação das Universidades e Faculdades da Terceira Idade, sendo que a primeira Universidade foi criada em 1973 na França, por Pierre Vellas (CACHIONI, 2003).


Com o objetivo de proporcionar uma velhice com maior qualidade de vida, a Faculdade de Tecnologia de Piracicaba (FATEP) criou em Agosto de 2011 a Faculdade Aberta da Terceira Idade, uma proposta de educação permanente, dirigida a pessoas de ambos os sexos, com mais de 50 anos, interessadas em atualizar e buscar novos conhecimentos.

A proposta de educação dirigida às pessoas com 50 anos ou mais, dentro de uma perspectiva de educação permanente, deve modificar objetivos, conteúdos e métodos de acordo com as necessidades e desejos da população desse segmento etário e da sociedade que envelhece, pois os indivíduos na idade madura e idosos são os verdadeiros sujeitos do próprio processo educativo, com sua experiência, podem ser atores da transformação da sua realidade histórico-cultural.

Existem dados empíricos que comprovam que a educação permanente possui efeitos claros compensatórios e estimulantes sobre o envelhecimento bem-sucedido. Os programas educacionais, ao favorecerem a interação social, rompem o possível isolamento que esteja sendo experimentado pela população que envelhece. Também colaboram para o desenvolvimento de habilidades, além de se constituir numa possibilidade de realizar aspirações educacionais nunca antes alcançadas. Voltando a estudar, o indivíduo na idade madura e o idoso têm chance de mudar o rumo de sua vida, redimensioná-la e redirecionar suas ações para ter liberdade de escolha, emergir com novos pensamentos, novas maneiras de ser e estar no mundo, o que tende a provocar mudanças na sua qualidade de vida (CACHIONI, 2003).

Para os adultos de idade madura e idosos, a aprendizagem se constrói e está associada à experiência, à vida. A valorização do vivido, do adquirido desenvolve a autoconfiança e auxilia na busca e atribuição de significados as novas aprendizagens, desta forma não se exige grau de escolaridade, os alunos não serão avaliados através de provas e não precisarão realizar tarefas comuns do ensino formal.

 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Educação na Terceira Idade

 

Quando se fala no assunto referente à educação para esta faixa etária, em um primeiro momento o que as pessoas são levadas a pensar é na escolaridade nos moldes da educação regular, até porque em decorrência do Estatuto do Idoso foram criadas as Universidades para a Terceira Idade. Não é e errado assim pensar, porque o idoso pode recomeçar ou se reciclar.

 Ao falarmos em educação associada ao envelhecimento o fazemos considerando que a população idosa hoje é bem maior que na década anterior, assim como a expectativa de vida. Outro dado é que o comportamento do idoso da atualidade é bem diferente dos idosos de outras décadas. Como as pessoas deverão viver mais, então que vivam melhor, com mais qualidade de vida, mais prazer, que se permitam realizar sonhos outrora não realizados, que desenvolvam potencialidades ou habilidades que por qualquer motivo tenham ficado em segundo plano ou esquecidas.

 Aqueles que nunca freqüentaram os bancos escolares poderão fazê-lo hoje através de grupos específicos, criados para este fim.

O indivíduo não é um ser acabado, devendo procurar se aprimorar sempre. È natural que na terceira idade prossiga neste processo de crescimento, inserindo-se em diversos grupos, ao invés de isolar-se, deprimir-se e/ou viver à margem das inovações.

A educação na terceira idade pode estar ligada a um processo informal de aquisição de conhecimento, de desenvolvimento de habilidades, ou de contato com novas tecnologias que podem facilitar a vida de cada um.

A educação informal pode ocorrer por meio da leitura, de palestras, de viagens, visitas a museus, exposições, filmes, concertos, participação em grupos de interesses diversos, de aprofundamento da espiritualidade e da religiosidade, de aprendizado sobre o processo de envelhecimento, o que facilitará a compreensão e aceitação desta nova etapa da vida.  Também pela convivência e troca com pessoas de outras gerações, pela curiosidade em desvendar as novas tecnologias como uso de telefone celular, manuseio de eletrônicos e eletrodomésticos, objetos estes que outrora eram raridade e que ao dominar o funcionamento estará se permitindo experimentar novas oportunidades de aprendizado, de lazer, entretenimento, possibilitando manter diálogo a respeito destas novas experiências, o que sem dúvida favorece e enriquece o relacionamento interpessoal.

A educação e o aprimoramento na terceira idade devem visar aspectos relativos ao melhor relacionamento, maior inserção social, elevação da auto-estima, desenvolvimento de habilidades que proporcionem prazer, alegria de viver, facilidade de entendimento do mundo atual, não vivendo só do passado.

As atividades voluntárias propiciam crescimento pessoal, e é importante o seu desenvolvimento, em especial nesta época da vida, que vão auxiliar para que a etapa de envelhecimento não se caracterize só por perdas, mas por incontáveis aspectos positivos para as partes envolvidas.

Há um mundo novo a ser descoberto, desde que cada um se disponha a nele entrar, para os mistérios desvendar superando dificuldades, barreiras interiores e preconceitos.

 


   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lazer na terceirta idade traz benefícios para os idosos e aumento na qualidade de vida

 

 

Os estudos relacionandos à prática de atividades físicas cotidianas à terceira idade têm apontado uma gama de benefícios à saúde da sociedade.

 

Uma rotina ativa com simples tarefas, incluindo atividades leves individuais ou coletivas, como caminhadas de baixa intensidade, a utilização de escadas em vez de elevadores, cuidar do jardim, atividades aquáticas, viagens turísticas a lazer em geral, proporciona uma melhoria na condição física e psicológica, auxiliando na realização de movimentos do dia a dia, tornando esses indivíduos prestativos em seu meio social e conscientes enquanto cidadãos.

 

De acordo com o Dr. Paulo Casali, especialista em Geriatria e Gerontologia, "as atividades de lazer são importantes para qualquer pessoa em qualquer idade".

 

Na terceira idade as motivações do lazer reduzem-se a uns poucos referenciais, com ênfase nas necessidades psicológicas de repouso e de ocupação do tempo. Dr. Paulo explica que as atividades de lazer podem ser exercícios físicos de qualquer espécie e/ou modalidade, jogos e brincadeiras em grupo, leitura, atividades manuais como pintura, bordado, tricô e crochê, jogos de tabuleiro, dança, música, cinema, teatro, passeios, viagens, grupos de estudo, etc. Especificamente para os idosos, as atividades de lazer vão melhorar sua saúde em vários aspectos:

Do ponto de vista físico, podem propiciar fortalecimento do sistema imunológico e uma melhora da mobilidade, flexibilidade, equilíbrio corporal e força muscular.

 

No aspecto mental, vão melhorar a memória, o raciocínio e a velocidade do funcionamento e do metabolismo cerebral como um todo.

No aspecto emocional, diminuem a tendência ao isolamento e à depressão, situações infelizmente bastante comuns na terceira idade, através de uma melhora nos relacionamentos interpessoais, com a possibilidade de formação de uma ampla rede social e de amigos. Com as atividades de lazer o idoso pode manter-se fisicamente e intelectualmente ativo, e isso é preponderante para afastar as doenças mais comuns dessa faixa etária.

 


   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lazer e cultura para a terceira idade

 

Entidades públicas e privadas oferecem atividades culturais e sociais

O envelhecimento da população brasileira, causado entre outras coisas pela melhoria na qualidade de vida da população, fez aumentar a oferta de serviços e opções de lazer e cultura para a terceira idade. Desde aulas de dança até artesanato e shows, entidades públicas e privadas oferecem diversas atividades para ocupar o tempo e a mente do idoso.

Em São Paulo, a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social mantém um serviço de atendimento à terceira idade: os “Centros de Convivência do Idoso”, entidades públicas ou conveniadas que promovem atividades físicas, culturais, sociais e recreativas para a terceira idade.

O Savalp (Sociedade Amigos da Vila Alpina) é um dos centros que atende gratuitamente pessoas acima de 60 anos e oferece, de segunda à sexta, atividades como Yoga, ginástica, dança de salão e aulas de pintura.

 

Para a coordenadora do Savalp, Rosa Caciraghi, responsável pelas atividades oferecidas no centro, o trabalho realizado é importante não só para a saúde física dos idosos. “As opções de recreação atuam também mentalmente, contribuindo para o bem-estar do idoso de forma geral. A cabeça não pode parar na terceira idade”, afirma.

 

As unidades do Sesc (Serviço Social do Comércio), espalhadas pelo Brasil inteiro, também oferecem inúmeras opções de lazer para essa faixa etária, a preços acessíveis. Artesanato, trabalhos sociais, aulas de pintura, esportes adaptados, cursos, shows e peças de teatro são apenas alguns exemplos das atividades oferecidas pelo Sesc.

 

A fisioterapeuta Cláudia de Oliveira Munhoz, formada também em Educação Física, é monitora de esportes e coordenadora da terceira idade do Sesc de Santo André, na Grande São Paulo. Cláudia acredita que atividades desse tipo são importantes em todas as idades, mas destaca o papel delas na terceira idade. “O intuito é desenvolver a potencialidade dessa faixa etária, melhorar na qualidade de vida e proporcionar a inclusão”, diz. Assim como Rosa, ela também aposta na necessidade de exercitar a mente nessa idade. “As atividades também têm papel cognitivo, de ocupação mental”, conclui.

 

Outra opção de lazer para os idosos é o turismo. Atentas a esse nicho de mercado, as agências de turismo já oferecem pacotes e opções de viagens para grupos da terceira idade, com roteiros mais culturais e de contemplação da natureza. “Os destinos mais comuns são regiões históricas, que oferecem opções culturais de lazer, como Urussanga, em Santa Catarina”, explica Almenor Tacla, diretor da Apel Viagens, uma agência segmentada em turismo cultural e diferenciado. Localizada em São Paulo, a Apel também atende e organiza grupos da terceira idade e trabalha com o conceito de roteiros personalizados para grupos específicos.

 

A Universidade Metodista de São Paulo oferece curso específico para a terceira idade, na “Universidade Livre da Terceira Idade”, que tem como objetivo proporcionar ao público dessa faixa-etária uma compreensão mais abrangente de alguns aspectos da sociedade, aproveitando a perspectiva que a idade dos alunos pode proporcionar. Além disso, o curso também contribui para uma nova visão do papel do idoso na sociedade, além de ensinar a importância de conhecer seus direitos e lutar por uma maior qualidade de vida.

As disciplinas da Universidade Livre passeiam nos campos das Humanidades e da Biologia, compreendendo teatro, expressão corporal, história, arte, sociologia, direito, psicologia social e muitas outras. O aposentado José Maria Taparros Rodrigues, de 63 anos, é aluno do 5º semestre do programa. Para ele, um dos aspectos mais importantes da faculdade é a integração social. “Gosto de matérias como Direito do Idoso e outras que colaboram pra expandir a visão das coisas, mas o que mais me agrada na Universidade é a maneira como minha vida social mudou desde então. Na faculdade, além das matérias, você aprende porque conhece gente de todos os tipos, que vêm de todo lugar, e isso é muito enriquecedor”, diz. Ele também destaca a importância de viagens e atividades de lazer. “Nossa sala é muito unida e eu, como representante, aproveito isso para organizar visitas ao orquidário e ao aquário, por exemplo”, diz.

 

Ana Paula Freitas

 

 


   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lazer e diversão na terceira idade

 

Quando você pensa em idosos, pensa em cadeira de balanço, pijamas e cobertor? Isto é apenas um estereótipo.

O fato é que de uns anos para cá os padrões mudaram. As pessoas têm chegado à terceira idade cada vez mais fortes e saudáveis. Quem passou dos sessenta anos nos dias de hoje, se acostumou a uma vida agitada, repleta de atividades físicas. Não é à toa que haja uma procura cada vez maior por lazer e diversão. Os passeios na pracinha para jogar milho aos pombos e só se divertir em uma partida de dominó ficaram no passado.
Pensando nesta promissora fatia de mercado, as agências de turismo, bingos, casas noturnas e academias promovem eventos visando atrair o público "mais experiente". Desde cruzeiros marítimos até ecoturismo, passando por atividades tranqüilas; tudo adaptado para todos os gostos e possibilidades.

 

Livros

Bom para quem quer se manter atualizado, a leitura, seja qual for é um excelente exercício para a memória além de ser ótimo passatempo. O leitor se transporta para um universo todo novo, conhece tipos diferentes e sempre aprende alguma coisa diferente.
Recomendamos alguns bons livros que podem proporcionar momentos únicos de entretenimento:

•"Diário do Farol", de João Ubaldo Ribeiro;
•"Budapeste", de Chico Buarque;
•"Código Da Vinci", Dan Brown;
•"Quando Nietzsche Chorou", Irvin D. Yalom;
•"Achados e Perdidos", de Luiz Alfredo Garcia-Roza.

 

Música

A música é fonte de descontração. Você pode ouvir as suas canções preferidas e dançá-las. Além disso, os menos tímidos podem se aventurar tentando tocar algum instrumento. As opções são variadas, indo dos mais simples, como tamborim e outros instrumentos de percussão, passando para o violão, piano e flauta transversa. A prática de um instrumento apura os ouvidos, aumenta a sensibilidade e a coordenação motora, além de ser um bom pretexto para organizar saraus e reunir os amigos.
Conhecer os novos ritmos, sucessos e cantores é um jeito de continuar "antenado" com as novas tendências.

 

Filmes e Peças Teatrais

Assistir peças ou ir ao cinema é, sem dúvida, uma grande diversão. Transporta o espectador para um mundo diferente do seu. Faz sonhar, se emocionar. Chamar os amigos em torno de uma sessão de vídeo em casa ou com eles ir ao cinema é uma boa opção. As prefeituras dão incentivos, cobrando apenas meia entrada dos idosos.
Para a sua distração, indicamos alguns filmes:

•"As Invasões Bárbaras", de Denys Arcand;
•"Alguém Tem que Ceder", de Nancy Meyers;
•"O Outro Lado da Rua", de Marcos Bernstein;
•"As Garotas do Calendário", de Nigel Cole;
•"Benjamim", de Monique Gardenberg;
•"Primavera, Verão, Outono, Inverno e... Primavera", de Kim Ki-Duk.

 

Bingo

Os bingos, tão populares em quermesses, hoje são um negócio rentabilíssimo para diversos empresários que oferecem aos seus clientes cada vez mais conforto e comodidade. Salas refrigeradas, drinques e canapés, além de manobrista na porta e táxis à disposição, os bingos podem se transformar em ponto de encontro dos amigos e uma forma alternativa de conhecer pessoas novas.

Mas, cuidado: apesar de proporcionar momentos de distração, pode se tornar um vício sério e perigoso quando a pessoa perde o controle e passa a fazer do jogo sua única opção.

 

Dança

Uma das atividades mais procuradas hoje em dia é a dança de salão. O ritmo animado e os movimentos compassados podem trazer diversos benefícios ao corpo e à mente. As academias de dança variam de ritmo, e não é necessário se ter um par. É importante, no entanto, saber se você está apto a esse grau de atividade física. Converse com seu médico antes de se matricular em uma academia.
O dançarino e professor Carlinhos de Jesus diz que quanto mais cedo a pessoa começa a dançar, maiores os benefícios. "Mas nunca é tarde para entrar no salão", afirma. "A dança estimula a criatividade e fortalece a autoconfiança".
Os benefícios da dança são tantos que já existe uma corrente própria para a terceira idade: a maior novidade é a Dança Sênior, criada na Alemanha, realizada em grupo, e que pode ser praticada até por quem mal consegue se locomover.

 

Passeios ao Ar Livre

Caminhadas matinais com os netos à beira da praia ou em parques é uma excelente opção de lazer. Além de gratuito, é saudável e prazeroso. Acrescentar a isso exercícios de alongamento só enriquece a caminhada. Ao mesmo tempo, você estará se exercitando e ampliando o contato com os familiares.

 

Vans

As vans oferecem conforto e segurança. Podem ser  alugadas com motorista e sua despesa ser dividida com os amigos. Alguns lugares como casas de espetáculo, bingos e restaurantes oferecem esse meio de transportes para seus clientes. Algumas até oferecem um pequeno lanche! A diversão já começa durante o trajeto.

 

Turismo

Viajar em qualquer idade sempre foi fonte de imenso prazer e distração. O cliente "jovem", de meia idade, aproveita essa fase da vida para conhecer lugares há muito sonhados, ou voltar onde um dia passou e gostou. Existem pacotes turísticos próprios para a terceira idade. Alguns hotéis fazenda contam com estrutura médica, nutricionistas e professores de educação física que estão preparados para supervisionar os passeios e atividades.

 

É importante não confundir aposentadoria com lazer. Ela é apenas um momento de descanso, direito de quem trabalhou longos anos. Deve-se somar à aposentadoria uma rotina saudável, que inclua diversão e exercícios leves, que podem melhorar as condições físicas e afastar o fantasma do mau humor e da depressão.

 

 

Fonte: Corpo Saudavel